domingo, 31 de março de 2013

Eco

Queria hoje dizer tanto que te amo
Queria hoje por um instante demorado
Abraçar-te no infinito deste pranto
Acariciando o teu semblante assim tão perto

O que fazer quando o contrário é mais correto
Quando o pensar segura os braços amorosos
Que ao lembrar da sintonia de teus olhos
Reflete o ser que ao amar tornou-se inteiro

Faz-se um eco ao terminar este lamento
Não é tristeza é só uma forma de enredo
A maneira que a prosa tão saudosa
Faz poesia eternizando o sentimento

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada por suas palavras tão ricas em profundidade que por si só é um lindo poema!!!
    Tem toda razão, o medo não faz parte do amor.
    Podemos dizer que amando,nasce respeito,cuidado, acolhimento e o maior deles, a meu ver, doação.
    Amar é amplo demais não é, quase que inesplicável, acima de tudo é sentido, sonhado.
    O amor é algo que faz o ser humano lembrar-se que é divino, pois é o sentir-se no outro...que o torna eterno!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  4. inesplicável tem a ver com ines..rss
    seria correto no texto: inexplicável!..rss
    (desculpe a minha falha!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir