quarta-feira, 26 de abril de 2017

Rastros

Afinal o que acaba?
Afinal o que se passa?
O fim gera um mistério
No começo de um gesto
Mas se os gestos são de afeto
O fim gera um recomeço

Afinal por que vivemos?
Se não for aprendizado?
De início a passos largos
Curiosos e incertos
Às vezes sem entender
O pulsar que vem de dentro

Afinal não cabe a nós
Questionarmos o mistério
Bastando vivê-lo enfim
No hoje que está bem perto

Pois do início semeado
Foi ao tempo escolhido
Pra florir deixando rastros
Do amor que foi vivido!

Pensamentos

Há dias que estou repleta
Repleta de pensamentos
Alguns são até alentos
E outros me movimentam
Tirando os pés do chão
Em sonhos me alimento

Há dias que falo pouco
Pudera é só meu jeito
Engano que sou quieta
Pois dentro é turbulento
Nas músicas me distraio
E na fé me aconselho

Os dias estão passando
Na rapidez de um piscar
Que creio ter percebido
Que aqui é só um olhar

Voltando aos pensamentos
Procuro o som do eterno
E enxergo num tal silêncio
A Luz que está bem perto

Lá fora é que eu aprendo
E amando é que eu desperto!

terça-feira, 25 de abril de 2017

Eu e o Espírito Santo



Eu sou o seu templo; eu tenho Deus em mim.
Portanto, eu mesmo sou o meu abrigo.
Não devo fugir. Faço parte de Deus.
E Deus não foge.

Se contrariar o Espírito, firo a mim mesmo.
Se insistir em contrariar, eu morro.
Se morrer assim, mato em mim o meu Deus.

Necessito respeitar quem vive em mim.
Pequei várias vezes e quero me redimir
Quero ter o perdão do Espírito.

Como Ele está em mim, é Ele quem pode agir.
Juntarei minhas poucas forças com a d’Ele.
(Ainda que não sejam forças iguais),
Pois apenas juntos será possível o perdão.

 Ampara-me, ilumina-me, salve-me e guia,
Oh, meu Espírito Santo!
Ainda que eu nada entenda.

(poema do primo José)

Sopro Divino

Sopro divino sopro
Sopro que traz a essência
Sopro que vai ao fundo
Do ser humano
Em sua carência

Sopro divino sopro
Sopro que movimenta
Sopro que lembra a vida
Sem despedidas
E sem tristezas

Sopro amado sopro
Sopro lá do princípio
Sopro de amor eterno
És um mistério
Tão infinito

E neste mundo os ventos
Soprando em devaneios
Levam consigo o tempo
Mas não levam o amor
De Quem Soprou primeiro!

terça-feira, 4 de abril de 2017

Ciclos

Sinais dos tempos
Ciclos vencidos
Pessoas surgindo
Entre sorrisos tímidos
Lágrimas lembradas
No silencio do ontem
Abraços que acolhem
O milagre do hoje

Sinais dos tempos
Ciclos em círculo
O amanhã é ansioso
E não é vencido
Equilibra os corações
Na busca do infinito
Que sempre esteve lá
Tão perto do princípio!